Uma história real – por Líria Todeschini

Minha irmã, Tude, me contou  esse fato verídito, hilario e triste.
Aconteceu com minha mãe num certo dia  do mês de março  de 2014.
Resolveu Dona Pina  que neste dia partiria desta vida.
Deitou-se numa cama  de solteiro  de costas o mais reto possível  e com as mãos  postas, juntas, como  os mortos . Tentava morrer.  Como se pudesse decidir  entre a vida e a morte.
-“I can see the picture” Imagine o quadro. Visualize…

A família na sala, tia Dozolina, a irmã menor de minha mãe , Tude com seu marido Clóvis que pretendia não notar a situação e tentava ler o jornal. Não acredito que tenha conseguido entender  alguma coisa…

Dona Pina concentrada lá…
De olhos fechados, quieta, imóvel, e posso até dizer pálida. Começa amedrontar os que ali estavam.
-E vai que dê certo e ela morre mesmo?
Ai , ai, ai, ai…
Que  momentos  tensos e indescritíveis…
Subitamente, ela ordena, com ríspida voz.
- Tirem o  travesseiro para  que eu fique o mais reta possível, se não vocês  vão passar vergonha, se eu ficar toda torta.  Esse dito de Dona Pina conhecemos muito bem. “Preocupação de passar vergonha”.

Dozolina contra sua vontade, conhecendo bem a “peça”, assim o fez. Não posso esquecer de dizer que minha mãe ESTÁ sempre no comando.
No comando até para decidir a hora de morrer (pelo menos é o que ela pensa)
E o tempo assim passando…
Pesado, tenso, mórbido!
Imagino que  os presentes se olhavam sérios  e sem saber o que fazer.
-Mama Mia! Que situação!
É a exclamação  de todos.
“Meninos  eu vi ” Como disse Gonçalves Dias no último verso de seu poema Juca Pirama.
E a Tude repetia para mim. Assim  foi.
Se não bastasse tirar o travesseiro,  a senhora Josephina ficou zangada com a sua irmã porque ela começou massagear seus pés.
- Eu já estava com os pés prontos, isto é, duros e frios e agora tu  atrapalhou  tudo.
Impaciente, cheia de raiva e violência. “Notando-se bem que Deus não estava com ela”.
Quando Deus está presente há mansidão, compreensão, bondade, ordem e nenhuma contradição.
E aquilo era o caos. E o tempo passando… E nada.
É a guerra entre o bem o mal.
- Eu quero que ponham uma tábua embaixo de mim para que eu fique bem reta,  ordena a comandante ou a  futura defunta.
Ninguém concorda, mas a comandante não desiste.
- O Nelson tem tábuas lá na fábrica. Se não me colocarem uma tábua embaixo de mim, eu deito no chão.
Dozolina  fala, então:
-  Ela não vai desistir, vou falar com o Nelson.
A tábua vem (1,80 x 60m) e lá colocaram embaixo dela.  E o tempo vai. Chega a Lourdes, nossa cunhada que tinha se ausentado um pouco.
- Mas o que é isso? Minha gente! Vocês estão loucos?
Silêncio na plateia, olhos atentos, ouvidos em prontidão. E agora? Nada  acontece.
A mãe lá concentrada para a partida em cima de uma tábua para ficar reta e bonita morta, preocupando-se com a futura aparência.
Vê se pode uma coisa dessas.
Finalmente adormece o corpo cansado de tanta concentração…
Sono profundo.
Dozolina e Tude resolvem  tirar a tábua debaixo dela… E o sono continua muitas e muitas horas.  Lá pelas tantas Dona Pina levanta-se e vai  para a cozinha comer, como se nada tivesse acontecido. Mas nós sabemos. Somos testemunhas desse fato
- Meninos, eu  vi ! É o que  a Tude, o Nelson vão contar  aos netos e eu direi minha irmã me contou e é pura verdade.

A Bíblia afirma que só existe um Deus e que Ele está muito interessado no que acontece aqui. Suas manifestações desse interesse apaixonado pela humanidade são encontradas em Sua lei que deve orientar nossa maneira de viver.

Liria Todeschini – nossa super escritora!!!

_________________o)(o__________________

Dona Pina, atualmente está em perfeita saúde física e mental, fazendo horta e crochet… Tomando conta de sua casa e vida, com uma capacidade invejável!!!!