Hiperidrose Plantar ou Suor nos Pés

Hiperidrose – Suor em Excesso

Muita gente tem esse problema e passa bastante trabalho e angústia.
A pedido de uma internauta que nos solicitou essa informação, fizemos uma pesquisa, maior sobre o assunto:
“O suor em excesso ocorre devido a uma disfunção do nervo simpático chamada de hiperidrose, e caracteriza-se por ocorrer várias vezes ao dia, tanto sob clima quente quanto frio, em uma ou mais dessas áreas: face, couro cabeludo, pescoço, axilas, mãos, nádegas, virilhas e/ou pés.”

Hiperidrose Plantar ou Suor nos Pés

O que é -
Este é o nome dado ao excesso de suor localizado nos pés. O organismo produz uma quantidade exagerada de suor que é eliminado nesta região. Só consegue dimensionar o problema quem dele é vítima. Suar muito nos pés provoca desconforto intenso, incapacidade de uso de sapatos abertos, sentimento de vergonha, isolamento e em alguns casos até depressão. Outro efeito do suor excessivo nos pés é o aparecimento de infecção fúngica, com consequente o odor desagradável.
Tratamentos Possíveis -
O tratamento da hiperidrose plantar pode ser realizado de diversas formas. Pode-se optar, por exemplo, pela iontoforese, um equipamento especial que se baseia no princípio de imersão dos pés em meio líquido e passagem de corrente elétrica de baixa intensidade para oclusão temporária dos poros.
Outra forma utilizada é a injeção de toxina botulínica – Esta forma de tratamento se baseia na interrupão do estímulo que leva a sudorese dos pés através da ação da toxina na “placa motora”. É menos invasiva que a cirurgia porém são necessárias várias injeções em várias sessões para se obter o efeito desejado.
Além disto pode-se também optar pelo uso de substâncias antitranspirantes de ação local.

Cirurgia

A simpatectomia lombar endoscópica é a cirurgia que se usa para o tratamento da HH plantar. Os pacientes com esta doença em geral já foram submetidos a alguma outra forma para tratar o suor em excesso. Recomenda-se inclusive, que o paciente, antes de se submeter a cirurgia, procure formas alternativas de tratamento como a iontoforese, agentes tópicos como cremes e anti-transpirantes ou o botox. A própria cirurgia para tratar a suodorese em excesso das mãos e axilas pode ter algum efeito também para o suor dos pés. Isto ocorre em cerca de 30% dos casos apenas.
- Bem, portanto, a maioria das pessoas com suor nos pés, mesmo tentando tratamentos alternativos, pode ser indicada para fazer a simpatectomia lombar.
- A técnica consiste em se retirar um pequeno segmento do nervo simpático lombar, de cada lado do corpo, o que leva à diminuição ou total ressecamento dos pés. O nervo lombar ou tronco simpático lombar corresponde a uma parte do sistema nervoso encarregado de levar a informação de sudorese aos pés e às pernas. Possui também outras funções que não costumam ser afetadas na cirurgia. A sua retirada pode ser feita com acesso chamado aberto ou laparoscópico.
- A cirurgia aberta corresponde à realização de grandes incisões para que através das mãos e pinças cirúrgicas comuns, se conclua o tratamento proposto. Já na cirurgia laparoscópica, o que se usam são pinças especiais e câmeras de vídeo para que se realize o procedimanto, com o abdomen fechado. Assim, tanto a estética quanto a função da parede abdominal são preservados.
- A simpatectomia lombar realizada em 2002, já foi por técnica laparoscópica. Atualmente, o que o Dr. Marcelo tem introduzido é a possibilidade de se realizar o mesmo procedimento com pequenas agulhas no lugar dos intrumentos laparoscópicos normais. Estas “agulhas” possibilitam a realização da cirurgia com cortes ainda menores, agora inclusive sem a necessidade de serem fechados com pontos, o que propicia um resultado estético ainda melhor.

Resultados da Cirurgia

- Desde 2002, já foram operados 93 pacientes. Em nenhum dos casos a cirurgia necessitou ser convertida para a técnica a céu aberto, porém isto sempre é uma possibilidade, visto que a simpatectomia lombar é uma cirurgia muito delicada.
- Os pacientes em geral recebem alta no dia seguinte à cirurgia e podem retornar às suas atividades no prazo médio de 5 a 7 dias.
- Apenas 2 pacientes tiveram que ser reoperadas para um dos pés o que faz desta cirurgia um tratamento com índice de sucesso de aproximadamente 99%. Algumas pacientes voltam a apresentar um pouco de umidade nos pés após alçguns anos de cirurgia porém, incomparável ao que suavam antes. Segundo o Dr. Marcelo, em certos casos isto é benéfico, pois permite uma reidratação mais adequada da pele.
- A grande maioria dos pacientes operados fica satisfeita com o tratamento e em geral o recomendam as outras pessoas que sofram do mesmo problema.
- A aplicação de um teste de qualidade de vida nos mostrou que melhora após a cirurgia neste quesito é impressionante. As pacientes que tem seu suor plantar controlado, passam a se relacionar de forma mais adequada, aumentam a auto-estima, sentem-se mais confiantes.

Efeitos colaterais da Cirurgia

- A simpatectomia lombar endoscópica pode levar ao aumento do suor compensatório. Este efeito aparece em cerca de 50% dos pacientes submetidos a este tratamento e que já tenham sido operados para tratar o suor das mãos ou axilas.
- Assim, todos os pacientes que desejam fazer a simpatectomia lombar, devem estar cientes desta possibilidade.
- Outro efeito colateral é o surgimento de dor ou sensação de formigamento nas pernas, algumas semanas após a cirurgia. Isto ocorre na minoria dos pacientes e, é sempre auto-limitada, ou seja, tende a desaparecer em alguns dias.
- Outros efeitos colaterais menos comuns, mas relatados, correspondem a hipotensão postural e ressecamento dos pés. (Fonte: suornospes.com.br)

Cuidados possíveis enquanto não fizer tratamentos:

- Usar antitranspirantes de ação local
- Faça um creme de produtos naturais, como camomila e babosa e use à noite.
- Escolha sapatos exclusivamente de couro, pois os materias sintéticos “não absorvem” e criam um foco para fungos.
- Olhe com cuidado também a parte interna dos calçados…